28 de novembro de 2017
Governo promete investir R$ 130,97 bilhões em infraestrutura entre 2017 e 2018

Governo promete investir R$ 130,97 bilhões em infraestrutura entre 2017 e 2018

Projeto Avançar faz parte da agenda positiva que Temer tenta emplacar após arquivamento de denúncias de corrupção

 

Carla Araújo e André Borges

 

O governo vai anunciar na tarde desta quinta-feira, 9, uma nova versão do “Projeto Avançar”, que reúne investimentos da União, estatais e financiamentos de bancos públicos. O pacote tem previsão de investimentos de R$ 130,97 bilhões entre 2017 e 2018, sendo R$ 42,15 bilhões pela União, conforme adiantou o Estado; R$ 29,91 bilhões por projetos apoiados pela Caixa Econômica Federal, BNDES e FGTS; e R$ 58,91 bilhões pelas estatais de energia, Grupo Eletrobrás e Petrobras.

 

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, comandada pelo ministro Moreira Franco, o governo não está lançando novas, mas retomando projetos que estavam paralisados por conta da crise econômica ou política. A previsão é que um total de 7.439 projetos será tocado até o fim do ano que vem.

 

De acordo com a pasta, a premissa do programa é que todas as obras já possuem recursos garantidos, seja nos orçamentos da União de 2017 e 2018, no orçamento das estatais ou dos bancos públicos. Outra condição é que as obras citadas serão entregues até o fim do ano que vem.

 

Não há detalhamento, porém, sobre quanto dos R$ 130,97 bilhões já foi aplicado neste ano e o que será injetado até dezembro do ano que vem. As previsões para o “Avançar Energia”, o maior orçamento do pacote, apontam 97 projetos, entre leilões de geração, transmissão e ofertas de petróleo e gás. Segundo o governo, os R$ 58,91 bilhões estariam associados apenas a dinheiro público. Na prática, trata-se de um cálculo difícil de ser aplicado, já que este setor conta com participação ativa do setor privado, seja de forma independente ou em parceria com estatais.

 

Nos últimos dois meses, o governo arrecadou mais de R$ 10 bilhões em leilões de gás natural e blocos do pré-sal, ofertas que tiveram a participação de uma série de empresas privadas, além da Petrobras.

 

Na área de transportes, o governo menciona a entrega de 898 km de ferrovias, referindo-se, basicamente, à entrega do trecho sul da Ferrovia Norte-Sul. Não há detalhes, porém, sobre qual investimento do governo do presidente Michel Temer foi contabilizado para esse projeto, já que é tocado há quase uma década e hoje ele está com 92,8% de obras concluídas, conforme dados oficiais da própria estatal Valec.

 

Na área de portos, aeroportos e rodovias, o plano também reempacota uma série de obras que já estavam em andamento, como a pavimentação da BR-163 no Mato Grosso, as obras do aeroporto de Vitória e as ações de dragagem nos portos de Santos e Paranaguá.

 

Sobre os R$ 29,91 bilhões previstos para o “Avançar Cidades”, trata-se basicamente de empréstimos a serem tomados pelo setor privado junto aos bancos públicos.

 

O presidente Michel Temer pretende aproveitar o evento desta tarde para passar a mensagem de que o governo trabalha para a retomada da economia. A busca por agendas positivas será um mote do governo nos próximos meses, para tentar transmitir a imagem de que a crise política foi superada.